Tucum

Prainha do Canto Verde (Beberibe/CE)

Como chegar / Onde se hospedar / Onde se alimentar /
Estrutura para eventos / Passeios e trilhas / Datas / História

Reserva Extrativista da Prainha do Canto Verde: uma vitória da cultura dos Povos do Mar


Como chegar

Como chegar de transporte particular

Saindo de Fortaleza/CE (117km): Saída pela av. Washington Soares > Seguir pela CE- 040 em direção a Beberibe > Passar das entradas de Beberibe e Sucatinga, na CE-040 até a placa indicando “Canto Verde” à esquerda  > Seguir na estrada de asfalto até chegar à comunidade.

Como chegar de ônibus rodoviário:

Empresa São Benedito – Rodoviária Engenheiro João Tomé – Linha Fortaleza / Aracati
Contatos: (+55 85) 3444.9999
Duração média de viagem até a Lagoa da Poeira: 2h
Valor médio da Passagem: R$15,00 (a confirmar).
Importante: Descer na Lagoa da Poeira (entrada da Prainha do Canto Verde). É possível agendar com o Conselho de Turismo da Prainha do Canto Verde (CTC) o serviço de traslado da Lagoa da Poeira até a comunidade. Outra opção é pegar um moto taxi até a comunidade no Restaurante Pantanal.

Voltar para o topo

Onde se hospedar:

Pousada Refugio da Paz: A pequena pousada da Dona Mirtes Mirtes possui 4 suítes e apartamentos com cozinha com cama de casal, cama de solteiro e espaço para armar redes. Todos os quartos possuem ventilador e frigobar. Fone: (85) 9 9693 0604 / 9 9655  1073 (Mirtes) pousadarefugiodapaz@gmail.com

Pousada Sol e Mar: A pousada de João e Aila possui 11 suítes com cama de casal, cama de solteiro e espaço para armar rede. Todos os quartos possuem ventilador e frigobar. Além disso, a pousada dispõe de restaurante e loja de artesanato local. Os quartos ficam no andar de cima com vista do mar e da comunidade. Fone: (85) 9 9621 1668 (Aila e João) pousada.solemar@yahoo.com.br

Chalé do Coqueiral: 2 quartos na casa de Francinete e Tontonho com café de manhã. Localizado num coqueiral com vista para o mar. Fone: (85) 9 9901 2331 (Francinete) anavitoriasant22@outlook.com

Chalé Maresia ou Casa Redonda: Chalé localizado na areia da praia e de frente para o mar. Possui 1 suíte com cama de casal, uma cama de solteiro, uma bicama e espaço para armar rede, cozinha, sala, lavanderia, deck com churrasqueira, mesa, chuveiro e espaço para estacionamento. A casa tem ventilador e a cozinha equipada com geladeira, fogão, cafeteira, liquidificador e utensílios diversos. O Chalé recebe 6 pessoas com conforto.

Casas de moradores: Alguns moradores oferecem suas casas para os visitantes do turismo comunitário em épocas de alta temporada como Réveillon e Carnaval.

*Contato sobre hospedagem também pelo email da central da Prainha do Canto Verde: contato@prainhadocantoverde.org

Voltar para o topo

Onde se alimentar:

Pousada Sol e Mar: O restaurante da Pousada Sol e Mar tem capacidade para atender até 35 pessoas. Possui cardápio variado com pratos regionais, como peixe grelhado, assado de forno, peixada, filé de peixe à milanesa, moqueca de arraia, tapioca com peixe frito ou assado, camarão, lagosta, galinha caipira e outros.

Voltar para o topo

Estrutura para eventos:

A comunidade possui infraestrutura para atender eventos, conferências, encontros, seminários, reuniões de planejamento, avaliações e cursos, assim como casamentos e festas familiares. O Centro Comunitário dispõe de auditório com área de 500m², suportando até 60 pessoas sentadas. A escola, por sua vez, possui Telecentro com capacidade para 40 pessoas e funcionamento aos sábados, domingos, feriados e férias escolares. Além disso, a comunidade possui equipamentos disponíveis, como impressora, data show e computadores assim como serviço de assistentes de evento que cuidam de todos os detalhes. (solicitar proposta de orçamento através de contato@prainhadocantoverde.org )

Voltar para o topo

Opções de Passeios e trilhas:

Passeio de carro até Morro Branco, (4 pessoas): O trajeto passa por Beberibe para visita do mercado ou compras.
Tempo de duração: depende da vontade dos clientes

Passeio de buggy nas dunas para a lagoa do Córrego do Sal (máximo de 4 pessoas por buggy)
Tempo de duração: 1h30min
Horários de saída: Manhã: 8h / Tarde: 15h

Passeio de buggy até Morro Branco (máximo de 4 pessoas por buggy): O trajeto passa pelas praias de Airós, Barra da Sucatinga, Praia do Diogo, Uruaú, Lagoa do Uruaú e Praia das Fontes, chegando na praia de Morro Branco. O passeio inclui caminhada pelos labirintos de falésia.
Tempo de duração: 3h. A maré pode afetar o trajeto.

Passeio de buggy até Ariós, Lagoa de Dentro e Praça do Pau Torto (máximo de 4 pessoas por buggy): Trajeto pelo limite da reserva, passando pelas dunas e conhecendo a Lagoa do Jardim.
Tempo de duração: 2h

Passeio de buggy até Canoa Quebrada (máximo de 4 pessoas por buggy): Saindo da Prainha, o trajeto passa pela Praia do Paraíso, Praia de Parajuru e, atravessando de balsa, Praia Pontal do Maceió, chegando a Canoa Quebrada.

Roteiro ecológico da Rede TUCUM com carro particular ou van: Prainha do  Canto Verde até Icapui com visita à Estação Ecológica e Projeto Algas e Alma na Requenguela, visita da passarela do mangue, almoço em Ponta Grossa ou Pousada Tremembé e retorno para Prainha do Canto Verde.
Tempo de duração: 10 horas ou 2 dias com hospedagem em Ponta Grossa ou Pousada Tremembé, Icapui.

Trilha da Lagoa do Córrego do Sal (para pequenos grupos de até 5 pessoas): Saindo da Prainha do Canto Verde, a trilha passa pelos coqueirais, dunas, vegetação de murici e hortas familiares, chegando até lagoa para tomar banho de água doce. Acompanhado por condutores de trilha da comunidade.
Tempo de duração: 2h
Horários de saída: Manhã: 7h / Tarde: 15h30

Voltar para o topo

Datas importantes para a comunidade da Prainha do Canto Verde:

  • Queimação do Judas com versos dos poetas da comunidade: Sábado de Aleluia, durante a semana santa, que acontece nos meses de março ou abril
  • Festa de São Pedro: Missa campal com procissão pelo mar, no dia 29 de junho
  • Regata Ecológica da Prainha do Canto Verde: competição tradicional de jangadas que acontece desde 1993, reunindo a experiência dos pescadores/as artesanais com a preservação do meio ambiente. Além da Prainha, conta com participação de outras comunidades do litoral leste do Ceará. Costuma ocorrer no último fim de semana de novembro.

Voltar para o topo

História:

A primeira casa da Prainha do Canto Verde foi feita de taipa, por volta de 1860, as famílias de Joaquim Cabloco e Filismina e Zé Cariri e Chica Benvinda. Muitos/as dos/as moradores/as locais são descendentes desses primeiros habitantes. De lá para cá, a comunidade tornou-se referência na luta pela garantia de direitos, seja na pesca, seja no combate a grilagem de suas terras ou na construção do turismo comunitário. Atualmente, a Prainha é internacionalmente reconhecida por sua organização comunitária e belezas naturais.

A história de resistência dessa comunidade tem início na década de 1970, quando surgiram os primeiros especuladores de terra na região, que intencionavam explorar o lugar com vistas ao turismo de condomínios e resorts. Com o apoio do Centro de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos (CDPDH) da arquidiocese de Fortaleza, criado pelo Arcebispo e Cardeal Dom Aloísio Lorscheider, a comunidade iniciou uma disputa judicial que se arrastou por 21 anos. Após percorrer todas as instâncias jurídicas, em 2006, o processo chegou ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ), que julgou contra os especuladores.

Antes mesmo da decisão do STJ, entretanto, a comunidade sabia que precisava de uma estratégia que garantisse o território para todas as gerações de suas famílias. Por isso, em 2001, com o apoio do Ibama, solicitaram junto ao Centro Nacional de Desenvolvimento Sustentável das Populações Tradicionais (CNPT), a abertura de um processo para criação de uma Reserva Extrativista no mar, sendo a parte terrestre adicionada após o ganho do primeiro processo. A vitória veio novamente em 5 de junho de 2009, quando o então presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva, assinou o decreto de criação da Reserva Extrativista (Resex) da Prainha do Canto Verde, garantindo à comunidade seu território e modo de vida.

Em 2010 foi criado o Conselho Deliberativo da Resex presidido pelo Instituto Chico Mendes e do qual fazem parte 10 grupos da comunidade e 9 grupos de parceiros externos de governo, ONGs, Universidade e outros. O Conselho Deliberativo é responsável pela deliberação de regulamentos para o uso sustentável da Resex e os grupos da comunidade tem maioria nas votações por lei.

Atualmente, todavia, a comunidade enfrenta um novo desafio: dias antes da decretação da Resex, o empresário Thales de Sá Cavalcante entrou com pedido de usucapião de mais da metade do território da Prainha.  Ele teria comprado mas de 300 hectares do grileiro Antonio Sales Magalhaes em 1985 do mesmo usucapião que foi cassado pelo STJ em 2006.  Existem diversos outros processos judiciais em curso, mas, até agora a Resex continua absolutamente legal.

Voltar para o topo

Sugestões de roteiro

Prêmios
Instituto Terramar . Rua Pinho Pessoa, 86 . Joaquim Távora . CEP 60.135-170 . Fortaleza . Ceará . Brasil
Telefones: +55 (85) 3226.2476 +55 (85) 3226.4154 . info@tucum.org
DoDesign-s Design & Marketing